Wednesday, August 6, 2014

Sobre o Buda Amida e sua Terra Pura


Eu tento explicar aqui, de modo fácil, quem é o Buda Amida e como devemos entender a Terra pura. Primeiro de tudo, o que é um Buda? Ou, mais precisamente, o que não é um Buda?

Buda não é alguém como nós, embora em algum momento da história ele tenha sido. Em um diálogo conhecido, um brâmane chamado Dona pergunta ao Buda Shakyamuni quem ele é:

“Senhor, você é Deus?”
“Não, brâmane”
“Você é um anjo?”
“Não, brâmane”
“Você é um yakkha?”
“Não, Brâmane”
“Você é um ser humano?”
“Não, brâmane”

“Quando pergunto se você é um deus, você responde ‘não, brâmane’, quando pergunto se você é um anjo, você responde ‘não, brâmane’,  quando pergunto se você é um yakkha, você responde ‘não, brâmane’, quando pergunto se você é um ser humano, você responde ‘não, brâmane’. Então, que tipo de ser você é?”

“Brâmane, a ilusão de que eu seja um deus já foi abandonada por mim, sua raiz foi destruída, transformada em um toco de árvore que não  dá mais frutos.  A ilusão de que eu seja um anjo, um yakkha ou um ser humano também foi abandonada por mim, sua raíz destruída, transformada em um toco de árvore que não dá mais fruto.

“Assim como a flor de Lótus azul, vermelha ou branca nasce na água, cresce na água e flutua acima da água, intocada por ela, também eu, que nasci e cresci no mundo, transcendi o mundo e agora vivo intocado por ele. Lembre-se de mim, brâmane, como um Buda

O estado humano é limitado por muitos tipos de ilusão, então estamos enganados se dizemos que Buda é um ser humano. Isto porque o estado que ele alcançou vai mais além do estado humano de evolução espiritual. Em particular, alguns cristãos acusam o budismo dizendo que o seu Fundador é apenas um humano e, portanto, inferior a Jesus, que era o filho de Deus. Alguns budistas dizem que Buda era um ser humano para mostrar que o budismo não promove ídolos ou adoração aos deuses.
Ambas as maneiras de conceituar Buda estão erradas, porque embora a aparência física de Buda pareça humana, o estado que ele atingiu e em que ele opera é supremo no universo.
A luta interminável do ego, carregada de desejos e karma, leva ao sofrimento. Nascimento e morte não cessam até que a Iluminação ou o Despertar sejam atingidos. Um Buda é aquele que escapa desta luta ferrenha.

A palavra Buda quer dizer “O Desperto”, ou seja,  aquele que despertou para a realidade. Ele vai além do nascimento e da morte, escapando das correntes do karma. Sua existência no universo é suprema  e vai além do nosso pensamento, que ainda é escravizado pela ilusão ou ignorância. Um Buda tem Infinita Sabedoria e Infinita Compaixão, auxiliando seres sencientes a libertar-se dos nascimentos e das mortes.

No budismo, a situação é diferente do cristianismo porque não há um Deus Criador, um Legislador ou um Juiz. Tudo depende do karma. Um Buda não é um criador, um legislador ou um juiz, mas sua existência no universo é suprema. Ele é apenas o “Desperto” e age como um guia ou Salvador, capaz da verdadeira Compaixão que não está acorrentada pelos apegos e ilusões das pessoas comuns.

Através do budismo, a Realidade Ultima, ou seja, a Liberação ou Nirvana, é acessível a todos os seres que seguem o caminho dado por Buda.

Uma doutrina muito importante no budismo diz que nós podemos nos tornar Budas porque já temos esta possibilidade latente em nós. Então, é dito que todos os seres, independente de seu grau de ilusão ou sofrimento, carregam em si o que chamamos de Natureza Búdica, o potencial para nos tornarmos Buda. Não importa se você é uma lesma, uma barata, um cachorro, um ser humano, um fantasma famélico ou um deus, etc; você tem dentro de você, como uma joia desconhecida jogada na lama, a Natureza Búdica e a possibilidade de tornar-se um Buda.

Esta é uma boa noticia, mas infelizmente ela não nos mantém muito contentes porque aqueles que realmente conseguem libertar-se das ilusões e atingir o estado de Buda são extremamente raros nos dias de hoje, ou até mesmo, como Shinran disse, inexistentes.

Assim, apenas o caminho da fé em Amida permanece um método seguramente acessível para se atingir o estado Búdico.

Qualquer Buda é completamente livre e continua a manifestar-se de várias formas de modo a guiar os demais para a Liberação. Todos os Budas alcançam a mesma realidade absoluta: é por isso que é dito que todos os Budas têm a mesma essência ou natureza, geralmente chamada de corpo da suprema realidade do Dharma ou  Dharmakaya.

Além disso, todos os Budas têm múltiplas manifestações transcendentais, visíveis apenas para aqueles que são bem treinados no Samadhi ou estados mentais de concentração profunda. Estas manifestações podem tomar vária formas para auxiliar seres não iluminados.

Vários Budas criam esferas ou campos de influência pessoal conhecidas como “terras puras” onde os seres que confiam neles e criam links especiais com eles podem nascer após a morte física.
De modo a compreender melhor como funcionam as terras puras e as esferas de influência dos Budas, tente lembrar como é estar na presença de algumas pessoas que fazem com que você, repentinamente, se sinta bem ou mal, mais ou menos entusiasmado. Cada pessoa tem algo como sua própria esfera de influência – uma manifestação natural do seu estado mental – e pode influenciar mais ou menos os outros.

Algumas pessoas automaticamente modificam a atmosfera do local onde estão presentes, por exemplo, uma mulher muito bonita, com certeza fará com que alguns homens se sintam sexualmente atraídos e um assassino trará uma atmosfera de medo e frieza. Do mesmo modo, a presença de um Buda inspira e influencia, mas é uma influência que causa a Iluminação ou estados espirituais positivos.

Quando estamos na presença de um assassino e somos influenciados por ele, podemos dizer que estamos em seu “território” ou em sua esfera de influência.  Também, quando nascemos na Terra Pura de Buda Amida, automaticamente entramos em seu território de influência que nos transforma em Budas.  Esta Terra Pura do Buda Amida é real e efetiva, sendo a manifestação da Iluminação de Amida em uma forma que podemos aceitar e lá aspirar nascer após a morte.

Não é de maneira alguma impossível para a suprema Iluminação do Buda tomar várias formas para auxiliar o seres não iluminados. Estas manifestação especial e transcendental de Buda é chamada de Sambhogakaya ou Corpo da Recompensa.

Vários Budas têm diferentes corpos de recompensa devido aos votos que fizeram desde que entraram no Caminho. Por exemplo, um homem chamado Jim começa a entrar no caminho budista e faz um voto para salvar, especialmente, aquelas pessoas com alguma deficiência física. No momento em que se transforma em um Buda, ele automaticamente acessa a Realidade Suprema (Dharmakaya) que é a mesma para todos os Budas, mas ele terá manifestações transcendentais diferentes, feitas especialmente para ajudar aquela categoria de pessoas para quem ele fez votos específicos – ou seja, ele terá um Sambhogakaya diferente dos outros Budas.  Este corpo é chamado de “corpo da recompensa” porque é o efeito da recomepnsa de suas práticas virtudes, dos votos especiais que ele transformou em métodos efetivos de salvação através de sua Iluminação.

Em seguida, o corpo físico no qual alguém se transforma no Buda é chamado de Nirmanakaya ou corpo de transformação.

Então, se Jim tornar-se um Buda, ele será chamado de Buda Jim e ele terá um corpo físico (Nirmanakaya) que tem um começo e um fim visíveis; um corpo transcendental (Sambhogakaya), que tem início no momento em que ele atinge o estado Búdico, mas sem fim, que é o resultado de seus votos e virtudes, diferente daquele dos outros Budas; e também um corpo supremo , Dharmakaya – sem começo nem fim, que é o mesmo para todos os Budas.

Do mesmo modo, o Buda que chamamos de Amida, há muito tempo, em uma era diferente da que vivemos hoje, era um monge chamado Dharmakara. Ele aspirou tornar-se um Buda, mas o que faz dele tão diferente dos demais Budas, é que ele fez um Voto especial que promete salvação (atingimento do estado Búdico) não apenas para aqueles capazes de práticas e virtudes difíceis, mas para todos os seres, especialmente para aqueles incapazes de qualquer prática. Ele prometeu a criação de uma terra especial que todos podem acessar e, uma vez nascidos lá, eles mesmos tornar-se-ão Budas , completamente livres dos nascimentos e das mortes e capazes de salvar outros seres.  De acordo com este Voto Original, apenas a fé é necessária para tornar-se um Buda na Terra Pura de Amida, esta fé é manifestada ao recitar o seu Nome Sagrado - Namo Amida Butsu.

Fé (shinjin), não é algo complicado, mas é a confiança em Amida, isto é, considerar o seu Voto Original verdadeiro e efetivo.
No momento em que Dharmakara se tornou um Buda Amida, os votos e sua Terra Pura tornou-se real e efetiva pela salvação de seres sencientes. Assim podemos dizer que o Sambhogakaya de Buda Amida é a sua Terra Pura.

Em resumo, esta é a história do Buda Amida contada por Shakyamuni (o Buda histórico) aos seus discípulos e que nós, seguidores do Jodo Shinshu, consideramos verdadeira e confiável.
Qualquer ensinamento budista pode ser considerado autêntico se foi aprovado e apresentado pelo próprio Buda Shakyamuni. O ensinamento sobre o caminho da fé em Buda Amida e sua Terra Pura, onde todos os seres atingem a Suprema Iluminação independentemente das suas capacidades, é parte dos ensinamentos dados por Shakyamuni.
















0 comentarii: