Thursday, October 16, 2014

Jodo Shinshu – o único método eficaz nesta última era do Dharma

 – baseado em alguns versos do Shozomatsu Wasan de Shinran Shonin -

O budismo espalhou-se amplamente pela Europa nos últimos 50 anos e isto é sem dúvida, muito bom. Mas, com esta disseminação e com a imagem que o ocidente criou do budismo, ficou faltando um elemento muito importante e pouco compreendido. Existe esta visão já pré-estabelecida do budismo que é assim: “o budismo é o caminho da liberação por si mesmo” e “Buda é apenas um dedo apontando para a lua”, etc. A imagem de um budista é aquela de um monge ou praticante sempre calmo e sorridente, seguindo o caminho da auto-liberação e aperfeiçoamento. Isto, para muitos, é o budismo, mas para Shinran, isto é exatamente o que o budismo não é mais...

A história da vida de Shinran e seus ensinamentos revelam um outro aspecto do budismo que ele considera ser o mais importante objetivo budista: o verdadeiro ensinamento da Terra Pura ou Jodo Shinshu, em que o Buda Amida não é o dedo apontando para a lua e sim o Salvador – de fato, o melhor Salvador de todos os três mundos, Shakyamuni sendo seu mensageiro que guia os seres sencientes a confiar em Amida. Que diferença dramática da visão do Dharma entre a escola de Shiran e as demais escolas do poder próprio!


Podemos dizer que nos termos de Shinran, o budismo não estará bem estabelecido no ocidente até que o ensinamento sobre a salvação de Amida seja conhecido. De fato, no ocidente, apenas os ensinamentos acomodados e provisórios (do poder próprio) de Shakyamuni foram disseminados até agora, mas não a verdadeira razão para ele ter vindo a este mundo. Então, é nossa missão entender e transmitir corretamente o único Dharma de Shakyamuni que ainda é válido para este mundo da última era. Quanto mais nos conscientizarmos destas verdades, melhor é para todos os seres sencientes.

A possibilidade de se alcançar o estado de Buda nesta vida é a essência da maior parte das escolas budistas que foram amplamente divulgadas na Europa. Notícias sobre mestres budistas famosos e suas realizações são muitas e o número de discípulos está crescendo. Quem não quer ver, tocar e estar próximo a alguém que dizem ser a encarnação de um mestre budista ou mesmo um Buda vivo... mas eu mesmo olho com desconfiança para todas os ditos feitos das figuras importantes do budismo. Olhando para todas as “realizações modernas” a partir da perspectiva dos ensinamentos de Shinran Shonin sobre as verdadeiras capacidades dos seres na última era do Dharma, acho que há duas possibilidades para aqueles que parecem alcançar o estado de Buda no nosso tempo:

1)     Eles podem ser Bodhisattvas disfarçados, que já se tornaram Budas no passado e voltaram para manter no caminho budista aqueles que ainda não conseguem ter fé em Amida mas continuam a serguir outros ensinamentos do Dharma, ou
2)     Porque somos iludidos e pensamos que aquele que consegue ser mais calmo do que nós já alcançou o estado de Buda.

Mas, tornar-se um Buda requer muito mais do que manter um semblante calmo o tempo todo e dizer belas palavras de sabedoria. Shiran mencionou no Tannisho alguns aspectos daquilo que é tornar-se um Buda e o que o semblante sorridente dos seus dias e dos nossos não possuem:

Aqueles que dizem que alcançaram a Iluminação nesta vida corpórea, por acaso manifestam vários corpos, as 32 características de Buda e as oitenta marcas? Pregam para o benefício dos demais seres como Shakyamuni? Estas são características de quem si iluminou nesta vida...

Um verdadeiro Buda conhece todas as suas vidas passadas e as vidas passadas de todos os seres sencientes, ele sabe de todas as causas e todos os possíveis efeitos e não consegue prever o futuro de qualquer ser. Ele sabe perfeitamente qual é o melhor método a ser aplicado para todos que o conhecem e lista de capacidades do ser Iluminado pode encher muitas páginas...

Acho que é muito importante entender que um Buda não é um ser humano, já que a condição humana corresponde a apenas um dos muitos estados de existência não iluminados. As qualidades internas de um ser iluminado manifestam-se externamente e são impregnadas no seu corpo físico, então mentalmente e fisicamente, um Buda é uma pessoa extraordinária, além de qualquer ser.

Tornar-se um verdadeiro Buda e possuir todas as capacidades citadas acima é algo que não se pode fazer nesta era, de acordo com Shiran Shonin. Mas, infelizmente, as pessoas não leem nos Sutras o que um Buda realmente é e ficam bastante impressionadas com uma pessoa mais calma do que elas.
Quando eu leio as muitas revistas budistas que são muito populares hoje em dia, eu sempre tenho o sentimento de futilidade. Muitos monges sorrindo, artigos sofisticados, conversas zen sobre o vazio e sobre como já somos budas e não precisamos fazer mais nada, praticantes falando sobre como superar a raiva ou o ciúme e várias outras coisas... leio todos estes artigos e penso como eles foram escritos para alienígenas e não para mim.

Quem são todos aqueles bons budistas e como pode toda esta conversa me ajudar em alguma coisa? Os Budas vieram para este mundo apenas para ensinar a estes caras que estão sempre calmos e alcançam a plenitude da vida através da meditação? Então o que estou fazendo aqui? Antes de entrar para o Jodo Shinshu, eu me sentia como na escola, quando um professor conversava com as crianças obedientes na fileira da frente e me mandava para o fundo da sala com as crianças más.
Então... encontrei o Jodo Shinshu... que é a única razão pela qual eu sou budista. Sem o Jodo Shinshu, o budismo é apenas um outro discruso bonito para as boas pessoas mas sem nenhuma relevância para a pessoa comum vivendo no mundo real.

Eu verdadeiramente entendo agora o porquê de Shinran Shonin ter dito que pregar o Sutra Maior foi a verdadeira razão da vinda de Shakyamuni a este mundo. Ele teve a coragem de abandonar a máscara de um budista sorridente para olhar profundamente para si mesmo e para as capacidades humanas. Shinran escolheu não ensinar os discursos bonitos dos outros Sutras mas escolheu cuidadosamente as passagens que beneficiariam a si e aos outros.

Há ensinamentos e práticas deixadas por Shakyamuni sobre as quais Shinran escolheu não falar. Ele não fez isso porque os ensinamentos não são bons, mas porque eles não são úteis para alcançarmos o estado de Buda, dadas as nossas capacidades limitadas.

Shinran disse nas suas cartas que alguns ensinamentos budistas têm relevância limitada enquanto outros tem relevância universal e que o ensinamento do Voto Original do Buda Amida tem relevância universal. Um ensinamento de relevância universal significa ser útil e eficaz tanto para seres bons e virtuosos quanto para seres malignos cheios de paixões cegas. Santos e tolos podem ser salvos igualmante. É o “ensinamento de acordo com o tempo e os seres” como ele também disse no Shozomatsu Wasan.

Alguns podem pensar (e eu já ouvi colocações deste tipo em uma das conferências europeias) que não podemos ser tão radicais ao dizer que Shinran falou que apenas a fé em Amida pode levar ao estado de Buda, pois assim podemos ofender outras escolas budistas com as quais conversamos em encontros ecumênicos.

Então o que podemos fazer? Por quê deveriam se sentir ofendidos enquanto tantas outras escolas também dizem ter as melhores práticas métodos? Vejam o que as escolas tibetanas dizem quando falam sobre suas práticas específicas.

Minha opinião sobre isso é que é extremamente importante manter-se estritamente fiel ás explicações de Shinran Shonin e passa-las como elas foram ensinadas, sem acrescentar nada para satisfazer as expectativas de seres não iluminados de outras escolas ou outras religiões não budistas deste mundo iludido. Nas próprias explicações de Shinran, encontramos as razões para a existência do Jodo Shinshu.

Este ensinamento maravilhoso sobre a absoluta confiança no Buda Amida não é apenas outro método dentre os 84.000 ensinamentos budistas, mas o mais importante de todos os ensinamentos de Shakyamuni.

Shinran disse no segundo verso do Shozomatsu Wasan:

“...os ensinamentos que Shakyamuni deixou para trás foram todos para o palácio de Naga.”
Isto significa que todos os outros ensinamentos budistas não são efetivos durante estes tempos. “Ir para o palácio de naga” significa exatamente isto – não fazer nenhum efeito.

Shinran ainda é mais claro:
Embora tenhamos os ensinamentos de Shakyamuni
Não há seres sencientes capaz de pratica-los;
Então é dito que na última era do Dharma
Ninguém irá atingir a Iluminação através deles

“Ninguém irá atingir a Iluminação através deles” é uma colocação muito forte! Ninguém – isto deve ser ouvido e compreendido. Nem uma única pessoa pode efetivamente praticar os ensinamentos budistas que não sejam aquele da confiança em Amida.

Shinran disse claramente para aqueles que estão prontos para ouvir:

Sem confiar na compaixão do Voto do Tathagata,
Nenhum ser senciente destes tempos – a última era do Dharma e o quinto período de quinhentos anos que se seguem após a morte de Shakyamuni – será capaz de escapar do nascimento e da morte”

As palavras de Shinran não deixam dúvidas sobre o que precisamos fazer. Não há outro método budista para garantir o estado de Buda tão rápido sem pedir nada do praticante. Todos os belos discursos e todas as práticas das outras escolas que dizem que todos podem tornar-se Buda nesta vida são boas, mas não são eficazes para esta era e nem para as pessoas destes tempos – portanto é como se não existissem – “Foram para o palácio de naga.”

Nesta era, qualquer prática verdadeiramente espiritual (quando digo “verdadeiramente” refiro-me a outras práticas budistas e não ás práticas de outras religiões) em que se pede ao praticante para acumular algum mérito, ainda que pequeno como um grão de areia, não são práticas efetivas. Assim, devemos abandona-las, pois não nos tornaremos Budas através delas.

Se devemos abandonar até os outros ensinamentos budistas e práticas como se não existissem, quanto mais os ensinamentos não budistas sobre os quais Shiran Shonin fala detalhadamente no Kyogyoshinsho onde ele diz, por exemplo, falando do Sutra do Grande Nirvana:

Filhos, há dois tipos de Iluminação: a eterna e a impermanente. A iluminação dos caminhos não budistas á chamada de impermanente, a Iluminação budista é chamada de Eterna. A emancipação dos caminhos não budistas é chamada de impermanente, a emancipação budista é chamada de Eterna.”

No Shozomatsu Wasan, Shinran faz novamente referência a outros ensinamentos não budistas:

Os noventa e cinco ensinamentos não budistas corrompem o mundo;
Somente o caminho do Buda é puro.”

Estas palavras são imediatamente seguidas por estes versos:
Apenas ao atingir a Iluminação, podemos auxiliar os demais
Nesta casa em chamas, este é o curso natural do Voto

Ao comparar estas duas referências sobre os dois tipos de Iluminação (Eterna e impermanente) citada por Shinran no Kyogyoshinsho e apresentadas acima, podemos facilmente concluir que não é através dos ensinamentos não budistas, mas através do caminho do Buda que é puro, é que uma pessoa é capaz de atingir a Iluminação. Então se vivemos nesta última era do Dharma com todas estas impurezas e dificuldades, nós devemos seguir apenas o caminho do Buda e não os outros vários ensinamentos não budistas, que são, por si mesmos, manifestações deste mundo corrompido. Mais do que isso, dentre todos os métodos budistas, devemos selecionar apenas o método do Voto Original e abandonar o restante como se não existissem.

Eu penso que principalmente estas colocações de Shinran Shonin sobre os ensinamentos não budistas e outras práticas budistas são muito úteis nos nossos dias, quando tornou-se um costume misturar as coisas e buscar a síntese de vários ensinamentos religiosos. Muitas “sopas espirituais” prevalecem nos dias de hoje misturando elementos do cristianismo, budismo e hinduísmo.

Mas, também no mundo budista, misturar as coisas tem sido comum. Mesmo em nossa comunidade internacional existe, por exemplo, uma tendência a fazer com que o Jodo Shinshu pareça-se mais com o zen de modo a acomodar uma visão pessoal ou uma incapacidade de abrir-se para uma salvação baseada na fé.

Ao rejeitar visões não budistas e outras práticas budistas já que elas não levam a Iluminação e são ineficientes, Shinran Shonin mostra que ele não está interessado em satisfazer as ideias de todo mundo ou em ter uma conversa politicamente correta com todas as outras doutrinas e religiões, mas está concentrado em salvar as pessoas dos nascimentos e mortes, que é a coisa mais importante de sua vida.

Na frente de dois rios com fogo e água com morte e perigo se aproximando a cada momento e com uma chance rara de obter uma outra vida humana, Shinran está apenas interessado em nos mostrar o caminho para escapar do nascimento e da morte. Ele não vê outra forma senão na confiança em Buda Amida. Todos os outros métodos não são reais e são ineficazes.

Shinran nos chama para acordar e não perder os nossos tempos preciosos. Esta é uma casa em chamas e não um local para conversas e doutrinas não importantes. Ele é claro em sua explicação assim como um médico que prescreve ao paciente exatamente aquilo que ele precisa para ter sua vida salva.

Ele diz algo como: “Você quer escapar do nascimento e da morte? Se sim, é assim que se faz e não de outra maneira. Confie no Buda Amida e em mais ninguém.” Esta é a mensagem de Shinran para os doentes terminais da última era do Dharma, um mundo que precisa do melhor remédio já encontrado na história das religiões.

Para aqueles que vem para o budismo e Jodo Shinshu apenas para deleites intelectuais e discussões interessantes, a atitude radical de Shinran sempre será embaraçosa ou politicamente incorreta. Mas, para aqueles que acham que a vida e a morte são a coisa mais importante, a mensagem clara de Shinran e sua maneira de rejeitar aquilo que é incorreto ou ineficaz e selecionar o que é correto e útil é tudo que é preciso ouvir.

Então, caros amigos, façam uma escolha: escapem desta casa em chamas ou permaneçam dentro dela, passando o seu tempo com práticas falsas e fúteis. É sua decisão, ninguém pode toma-la por você.




0 comentarii: