Friday, May 6, 2016

As consequências kármicas de negar a realidade transcendental de Buda Amida e sua Terra Pura

(translated from English by Shaku Shinkai)
- click here for the English version - 

Mestre T'an-luan (476-542)
A doutrina dos Três Corpos do Buda (aspectos) e a doutrina dos Dois Corpos do Buda geralmente não são compreendidas por aqueles que não aceitam a existência dos muitos Budas transcendentais no Mahayana[1]. Enquanto a verdadeira razão para esta atitude é a visão materialista do universo, estas pessoas usam o Dharmakaya sem forma (Dharmakaya da natureza do Dharma) como desculpa e argumento para reduzir todas as manifestações transcendentais a meros símbolos ou metáforas, chegando até a culpar o folclore budista por sua presença nas escrituras canônicas.

Mas, com certeza, o Mestre T´an-luan não compartilhava desta visão quando ele claramente dizia que justamente devido ao Dharmakaya não ter forma, não há forma que ele não possa manifestar.

“O Dharmakaya incondicionado é o corpo da natureza do Dharma. Porque a natureza do Dharma é Nirvânica, o Dharmakaya não tem forma. Porque ele não tem forma, não há forma que ele não possa manifestar. Portanto, o corpo adornado com as marcas de excelência é o próprio Dharmakaya”.   

“O corpo adornado com as marcas de excelência” é a manifestação transcendental específica de cada  Buda para a salvação dos seres sencientes:

“O Dharmakaya não tem forma própria e ainda assim manifesta várias formas, correspondendo ás condições e capacidades de seres sencientes.”

No caso de Buda Amida, esta é a Forma que ele tomou na Terra Pura; é Amida como descrito no Sutra Maior por Shakyamuni e visto e ouvido por todos que estavam reunidos no Pico do Abutres para ouvir este Sutra. É o Amida que sempre nos acompanha, seres sencientes que confiam nele.

Dharmakaya Supremo ou Dharmakaya da natureza do Dharma está além do tempo e da forma, não pode ser percebido como objeto de fé. Vivemos este Dharmakaya Supremo apenas após atingir o Estado de Buda na Terra Pura, mas aqui e agora, seres comuns e não iluminados como nós não podem entender ou encontrar identificação com ele. É por isso que Buda Amida não permaneceu enclausurado em sua seu Dharmakaya sem forma Supremo, mas manifestou-se na forma descrita por Shakyamuni no Sutra Maior e estabeleceu sua Terra Pura.

Mesmo Buda Amida em sua Forma e Nome sendo inseparável de seu Dharmakaya sem forma, isto não significa que ele não existe ou é apenas um símbolo ou personagem fictício. Mesmo os dois Dharmakayas sendo inseparáveis, eles são diferentes; eles são um, mas não o mesmo.

Então, mesmo aceitando que Amida tem o aspecto de Dharmakaya supremo e sem forma, devemos identificar nossa fé com Amida com Forma e Nome, no Amida descrito no Sutra Maior e no Amida que agora reside na Terra Pura. Aqueles que não entendem esta diferença mas continuam a negar a existência de Buda Amida em Forma e Nome não estão praticando de acordo com o Dharma, como diz T’an-luan:

Qual é a causa da prática não estar de acordo com o Dharma ou de não concordar com o significado do Nome? É devido a falha em entender que Amida Tathagata é um Corpo de Realidade [Suprema] e um Corpo para a salvação de Seres Vivos.”

Quando recitamos o Nembutsu, tomamos como objeto de fé e refúgio, o Nome do Buda Amida em sua manifestação gloriosa para a salvação dos seres sencientes (Dharmakaya da Recompensa/Sambhogakaya):

 “As dez repetições do Nome emergem da fé intransponível tomando por objeto o Nome do Tathagata Amida de um corpo glorioso do Dharmakaya da Recompensa que engloba todos os méritos imensuráveis que são verdadeiros e puros.”

Negar a existência de Budas transcendentais, incluindo Amida, em suas várias manifestações, é, segundo T´an-luan, o pior tipo de abuso do Dharma correto. Em um diálogo famoso no Ojoronchu, mais tarde mencionado por Shinran no seu Kyogyoshinsho, ele explica que o único obstáculo para o nascimento na Terra Pura e a única verdadeira exclusão no Voto Original é o ato de abusar do Dharma correto. Então, ele define o abuso do Dharma correto assim:

Se alguém diz ‚ ‘não há Buda, ‘não há Dharma de Buda, ‘não há Bodhisattva’ e ‘não há Dharma para os Bodhisattvas’, estas visões, quando firmemente enraizadas na mente através da própria razão ou dos ensinamentos alheios, são chamadas de visões que ‘abusam do Dharma correto’”

A questão é que aqueles que consideram como ficção a história contada por Shakyamuni no Sutra Maior sobre o Boddhisattva Dharmakara ter se tornado Amida e que consideram Dharmakara ou Amida como seres fictícios, estão na verdade dizendo “Bodhisattva Dharmakara não existiu” e “não há Buda Amida”. O ato de negar a existência do Buda Amida e seu Dharmakaya da Recompensa (forma Sambhogakaya) ou o Corpo (Aspecto) para a salvação dos seres vivos, é abuso do Dharma correto. Por esta razão, aqueles que ensinam estas visões estão excluídos do nascimento na Terra Pura. Mais do que isso, quando as suas vidas atuais chegarem ao fim, nascerão no Inferno Aivici, como T’an-luan explicou:

“Aquele que cometeu a transgressão de abusar o Dharma não atingirá o Nascimento, mesmo que não tenha cometido nenhuma outra maldade. Por qual razão? No Sutra Mahaprajnaparamita[2] é dito:

[…] Aqueles que abusaram do Dharma correto também cairão no Inferno Aivici. Quando o periodo de um kalpa se passar, serão enviados para o Inferno Aivici de outro mundo. Desta forma, estes malfeitores irão passar por cem mil Infernos Aivici consecutivamente.’

O Buda então não mencionou o tempo da libertação do inferno Aivici. Isto é porque esta transgressão, do abuso do Dharma correto, é extremamente grave.

Além do mais, o Dharma correto refere-se ao Dharma do Buda. Não faz sentido que pessoas ignorantes que abusam do Dharma aspirem o  nascimento em uma terra do Buda, certo?  

O Sutra Maior é o Dharma de Amida ensinado por Buda Shakyamuni com a intenção de ajudar os seres sencientes a nascerem na Terra Pura do Buda Amida. Como podem aqueles que não tomam este Sutra e o Dharma como genuínos, chamando-os demitologia ou ficção, nascer na Terra Pura do Buda cuja existência é negada por eles? Sem dúvida, como T’an-luan disse: “não faz sentido”, não é?


fragmento do meu livro,





[1] Mestre T’an-luan claramente explicou:  “Dizer que cada Buda governa mundos inumeráveis e inclaculáveis nas dez direções é uma visão mantida nos ensinamentos Mahayana.”
[2] Daibonhannyaharamitsukyo

0 comentarii: